Plugin Definitivo do Youtube

Você não detesta quando entra no youtube e antes de poder assistir um Videoclipe  do Daft Punk há um anúncio de música sertaneja? Seus problemas acabaram!
Ok, pro espaço com essas falas de comercial da Polishop.

O Youtube Options é um plugin para o Chrome, Safari e Opera, mas não para o Firefox (olha a segregação aí, ó).

Na verdade, é O Plugin. Sério, é o mais completo que eu já vi. Ele permite mudar o layout das páginas do youtube, permite padronizar as formas de visualização (com looping, playlist desativada…) e o principal… REMOVER AS PROPAGANDAS.
Se você não ficou feliz ao ler isso, você provavelmente não sabe o que é sofrimento e desgosto.

Existem duas versões do plugin, uma que você pode baixar na Chrome Webstore e a versão completa que você pode pegar diretamente no site oficial.

A diferença basicamente é que a versão completa permite que apareçam links de download abaixo do vídeo em diversos formatos. Muito legal, né?

Digamos que você esteja usando o chrome e decidiu pegar a versão completa no site, daí você esperneia que usa o Opera ou Safari blablabla whiskas sache e eu digo pra você se virar porque eu não uso nenhum dos dois e não vi como se instala em nenhum deles…
…Onde  eu estava? Ah, sim. Basta fazer o download, então clique naquele ícone de chave inglesa no canto superior direito do seu navegador, então em Ferramentas/Settings e por fim Extensões/Extensions. Então é só clicar e arrastar pra lá´o arquivo que você fez o download e voilà!

Opa! Depois de instalar o plugin e abrir uma página do youtube, você ficou assustado? Calma, lembre-se das letras garrafais do Guia do Mochileiro… NÃO ENTRE EM PÂNICO.

Volte para sua página de Extensões e olhe para o seu novo plugin. Basta clicar em Opções para configurar da forma que você achar melhor.

A opção de esconder as propagandas já está ativa por padrão, assim como várias outras que “deformaram” sua página. Clique em “Show advanced settings” e personalize do seu jeito. Parece que ele também pode alterar sites como Vimeo e Dailymotion (e agora que fui acessar, o… Twitter? O.o), mas apenas se você selecionar.

Você pode definir em qual qualidade em que os vídeos começam a rodar, se quer uma cor de fundo cinza claro ou escuro no lugar do branco, se os vídeos recomendados devem aparecer… E por aí vai. Eu só não sei mesmo nada sobre aquele gato que às vezes aparece no lugar do logo do youtube.

Enjoy.

Dropbox

logo dropbox  Eu vou comentar um pouco sobre este fantástico serviço, mas você pode ir diretamente ao site (muito limpo e intuitivo, diga-se de passagem), assistir ao vídeo e fazer seu cadastro. Tudo isso talvez não leve cinco minutos e é fácil compreender mesmo que seu inglês não seja muito avançado, então não perca tempo e veja o que o Dropbox pode fazer por você.

Mas para resumir, o Dropbox é um serviço de cloud computing (computação em nuvem), ou seja, permite que você consiga acessar seus arquivos de qualquer lugar do mundo através da internet. Como assim? Digamos que você precise levar vários arquivos digitados por horas no seu computador em casa e agora precisa levar tudo isso para o trabalho. Você não tem um pendrive? Ou talvez tenha, mas ele fez o favor de se perder em algum laboratório da faculdade ou então corromper os arquivos deixando como opção formatar o pobre coitado (ou tentar abrir com o Linux, algumas vezes funciona).
Pois bem, se você apenas colocasse esses arquivos no Dropbox, poderia baixá-los na faculdade ou no trabalho! Ou quem sabe no seu smartphone? Não importa onde você esteja, basta entrar no site e fazer o download do que você precisar.

Acredito que a principal diferença entre o Dropbox e outros serviços que até oferecem mais espaço gratuitamente é o software sincronizador. Basta se cadastrar, instalar o programa e voialà! Qualquer pasta ou arquivo que você colocar lá já estará na “nuvem”. E você pode baixar de qualquer lugar apenas logando na sua conta. E se você instalar em outro PC o programa do Dropbox, ele atualizará automaticamente qualquer alteração que você tenha feito, apenas espere o pequeno símbolo ao lado do ícone da caixa ficar verde.

O serviço do Dropbox é Freemium, ou seja, você pode usar uma versão gratuita e também pode fazer o upgrade para uma versão paga com benefícios extras. O modelo Básico inicia com 2GB de espaço, enquanto o Pro 50 permite 50GB por $9,99 por mês (ou $99 por ano) e o Pro 100 que são 100GB que custam $19.99/mês ou $199.00/ano. Também há a opção Team que permite um ignorante 1TB de espaço e que você pode dividir com até cinco usuários.

E sim, está disponível para Windows, Mac, Linux, Android, iPhone/iPad ou Blackberry. Sem deculpas, hein? E se der algum problema no servidor desses caras e eu perder meus arquivos? Bom, justamente por usar uma pasta quase comum no seu computador, seus arquivos vão continuar lá. Não se preocupe.

“Poxa, mas só 2GB?” Não, ainda tem mais! Faça login no site e clique em “Get free space!” no canto superior direito. Lá há uma lista de tarefas que permitem que você ganhe mais espaço de graça e por tempo ilimitado. E são coisas simples como postar um tweet, dizer o quanto gosta do Dropbox, etc… E você também pode convidar amigos! Para cada amigo seu que se cadastrar através do seu link, tanto ele como você recebem mais 500mb de bônus!
E já que quem se cadastra pelo link de alguém já começa com espaço extra, eu tomei a liberdade de usar o meu próprio link alí em cima, então você pode se cadastrar e ganhar espaço junto comigo! Não precisa agradecer.

Antigamente o limite era de 8GB, mas esse valor foi dobrado! Então você pode manter até 16GB de espaço gratuito por um preço muito mais em conta que aquele seu pendrive da Santa Ifigênia, é aquele mesmo que você esqueceu no lab da faculdade. Aliás, parece que o próprio Dropbox começou porque o fundador, Drew Houston, esquecia várias vezes o próprio pendrive.
Se por acaso ecoou na sua cabeça um “por que raios eu não pensei nisso?!”, seja bem-vindo ao clube.

Só para fechar, você sabia que é um serviço muito utilizado por desenvolvedores de games? Pode perguntar ao pessoal do Miniboss ou outros desenvolvedores que você conheça. Para o meu TCC foi uma mão na roda. E se você jogou Portal 2, talvez tenha conseguido o achievement “Drop Box” numa das câmaras de teste.

A nuvem parece mesmo ser o futuro.

Steam

English: Company logo for Valve Corporation. E...

Eu já mencionei antes e já era hora de escrever um pouco sobre esse dito cujo.

O que é?

Atualmente, o Steam é a melhor plataforma de venda de jogos em formato digital da atualidade (e creio que do futuro também) e pertence desenvolvedora e publisher Valve, a mesma de games como Counter Strike Source, Team Fortress 2, Half-Life 1 e 2 Left 4 Dead 1 e 2, Portal 1 e 2 e, em breve, Dota 2. Já deu pra entender o motivo de alguns fãs dizerem que a Valve não sabe contar até três.

Você pode comprar jogos originais através do seu cartão de crédito (que deve internacional aqui no nosso caso) ou paypal e eles são atrelados à sua conta.

Acesse o site, faça o registro e baixe o programa. Através dele você pode acessar a loja online, seus games, as novidades e a Comunidade, além de ter um sistema de mensagens para conversar com seus contatos e até fazer trocasde alguns itens nos jogos sem precisar logar neles!

Atenção: Isto não é aquela sua conta do orkut! Tome conta do seu login e senha! Além dos games que comprar, as informações do seu cartão de crédito podem ficar armazenadas (não é obrigatório mantê-las, mas muitos os fazem por comodidade). Mesmo assim, o Steam é bem seguro e o Suporte dele é rápido e eficaz.

E vale a pena?

Ô! E como!
Recomendo a TODOS os gamers (tanto faz se casuais ou hardcore) e aspirantes a desenvolvedores de games!
Lembra do que eu disse sobre pirataria? Pois é, mesmo que o nível de cópias ilegais de games para computares seja bem mais alta que a dos consoles, a Valve bateu de frente e mostrou uma plataforma eficaz com preços convidativos e preocupação com o consumidor.

Mas o que faz o Steam ser tão bom?

Velocidade, portabilidade, praticidade, estabilidade… e outros “ade”.
Ele aproveita o melhor possível da sua internet para realizar os downloads. E já que estamos falando de uma plataforma digital, o tempo de espera é o tempo do download. Nada de ir até a loja física ou esperar a caixinha que foi encomendada no Mercado Livre chegar em casa.
Os jogos pertencem à sua conta, se você quiser jogá-los e em outro lugar, basta realizar seu login e baixá-los para lá. E caso você já tenha os jogos nessa outra máquina, então sorte sua. Por questões de segurança, ao tentar logar numa nova máquina você recebe um e-mail com uma chave para confirmar que você quer usar aquele computador como forma de acesso.

Você pode navegar pela Store da forma como preferir, podendo separa jogos por gênero, publisher ou até pelo custo (Abaixo de $10, abaixo de $5, Free-to-play…).

O Preço e as Novidades
Provavelmente o principal motivo. Os jogos possuem preços justos! E existem promoções, MUITAS promoções!

TODOS os dias, algum jogo do imenso catálogo está com algum desconto por 24h.

Também há pré-vendas (e geralmente com 10% de desconto), onde você pode até fazer o pré-load do seu jogo e quando lançar oficialmente, você poder jogar sem esperar baixar tudo antes de se divertir.

Existe a Free Weekend onde um jogo pode ser experimentado na sua versão Completa no período estipulado (noite de quinta até manhã de domingo, se eu não me engano). Sem pagar nada.

A Midweek Madness onde um game ou mais têm os preços jogados lááá embaixo.

Eventos e Surpresas
Bom, isso tudo aí encima acontece durante todo o ano normalmente (!), mas existem dois períodos específicos em que todos os usuários temem por seus salários e cancelam prioridades. Os eventos das férias de julho e do fim de ano.

A Valve prepara pacotes separados pelos jogos de grandes produtoras (EA, 2KGames, Squaresoft, etc..) por um preço inacreditável . Um apanhado de jogos que individualmente custariam em torno de $300 ou $400, mas que estão todos juntos por menos de $100! Quando estivermos mais próximos do meio do ano, vou postar algumas táticas de sobrevivência nessas ocasiões.

Além desses grandes eventos, houve uma gincana para o lançamento de Portal 2 e onde jogos indie (independentes) participaram. Foi o Potato Sack e além de extremamente divertido deu uma brecha para uma piada que acontece no game (que eu não vou contar pra não estragar a surpresa de quem ainda não jogou).

Mas para você ter uma ideia, vou falar do evento de férias 2011, o Steam Summer Camp Sale.

Uma das coisas que acontecem nesses eventos são atividades são propostas aos usuários, coisas como postar uma screenshot de um dos seus jogos, fazer o link com o Facebook, ou até mesmo realizar um achievement em algum jogo específico. Vários games (principalmente indies) recebem atualizações só para aquela época.

Realizar essas atividades te dava direito a concorrer a algum prêmio. Alguns usuários ganharam 10 jogos da própria wishlist (uma lista de jogos que você quer e deixa marcado no seu perfil) e algum sortudo gahou 100 jogos no último sorteio. No caso do Camp Sale, eu não fui um desses sortudos, mas pude trocar tickets por prêmios menores como itens de jogos e até um outro jogo completo (Alien Breed 2).

Ah sim! Não é incomum você ganhar gears de um jogo por ter comprado ou fechado outro jogo. Por exemplo, eu tenho um balde e um cone de segurança que são usados como chapéus nos personagens de Team Fortress 2. Esse daí veio do Plants vs. Zombies.

Faz-tudo

O programa do Steam permite você se conectar em modo offline (desde que seu login e senha estejam memorizados) para se divertir com seus jogos, então não é obrigatório ter conexão com a internet. Além disso, o programa possui um messenger para seus contatos, uma rede social própria e permite que você faça reviews, poste screenshots, vídeos, entre em grupos, mande games de presentes e ainda dá pra usar como navegador durante partidas.

…e claro que tem conexão com o facebook e playfire. Só falta fazer raspadinha de laranja.

E tudo isso… Grátis! O programa do Steam é gratuito, assim como as funcionalidades mencionadas acima, você só vai pagar pelos games mesmo. E nem é obrigado a comprar, existem até jogos gratuitos disponíveis, além de várias Demos (versões demonstrativas) para você se divertir por um bom tempo. Só que apenas usuários que tenham comprado ao menos um jogo podem fazer certas coisinhas como adicionar amigos.
___________________________________________

Gabe Newell and Doug Lombardi of Valve Software

Gabe Newell, o culpado!

Bom… Eu sei que pareço um fanboy e que talvez você já tenha fechado esta página para ir baixar o programa e navegar pelo gigantesco catálogo de jogos disponíveis, mas para concluir vou deixar algumas dicas. o/

-Monte uma wishlist: Às vezes pode ocorrer um evento e você nem se importa, mas sempre há alguma atividade que você pode realizar sem gastar qualquer coisa e é comum você até já ter essa atividade como concluída. Nesses sorteios de jogos, eles te dão geralmente aqueles que estão na sua wishlist. Então gaste um tempo dando uma olhada em jogos que quer e depois outro tempo para organizá-los na ordem certa (ou pelo menos num top10). E quem sabe pode acontecer de alguma alma caridosa decidir mandar um presente pra você, então ele terá algum lugar para olhar o que você gostaria (eu pelo menos já dei e recebi jogos de presente no Steam de alguns amigos). Escolha no mínimo 10 games, mas eu recomendo você ter selecionar un 15 (você pode comprar ou ganhar de alguém e esquece que sua wishlist diminuiu).

-Não compre ainda! Você viu um jogo que colocou na sua wishlist e ele está com o preço normal dele? Bom, tente aguentar. Pode ter certeza que em algum momento ele vai ganhar alguma promoção. Pergunte aos usuários mais antigos sobre jogos que já entraram em promoções, que eles podem até chutar um bom palpite de quando e para quanto tal jogo pode ir.

Team Fortress 2 é considerado por muitos um dos melhores FPS online e este jogo é um dos carros chefes da Valve. Em 2011 se tornou gratuito (o que enfureceu alguns jogadores mais antigos)! São mais de 10GB que valem a diversão.

É isso aí. Enjoy!

E se quiser me adicionar por lá: http://steamcommunity.com/id/acromax

Pirataria

A palavra do momento eu acho.

Aproveitando o embalo das últimas postagens sobre SOPA e PIPA, achei que seria uma boa ideia falar sobre esse assunto tão polêmico. quanto mamilos.

O problema dessas duas leis é que elas basicamente tentaram controlar a internet do dia pra noite e da forma errada.
A ideia de que estamos numa “Terra de Ninguém” e que “o que cai na rede é peixe” está bem fixa na mente de muitos usuários.
E a ideia de que a pirataria precisa ser combatida a qualquer custo e os responsáveis punidos está bem fixa na mente dos donos de  grandes companhias.

Eu não vou tentar dizer quem está certo nessa história toda, mas vou tentar observar alguns detalhes. Afinal, tudo depende do ponto de vista… e da vista do ponto!

______________________________________

Vamos ver… Existem pessoas que trabalham em áreas artísticas como quadrinhos, games, literatura, animação e por aí vai. Há quem trabalha em estúdio e recebe salário e também o pessoal indie (independente) que que possui um outro emprego e trabalha em freelances e projetos pessoais.

Toda essa galera aí também também precisa comer e pagar as contas.

Não é porque geralmente são apaixonados por essa área que escolheram e trabalham com algo que gostam que eles deveriam se sentir satisfeitos com isso. Eles estudaram, treinaram e deram um duro danado numa coisa que é difícil de ser feita e esperam receber algo em troca. Nada mais justo.

Talvez você mesmo queira trabalhar com alguma dessas coisas. Talvez você também seja um estudante de jogos digitais como eu. Então, por que você piratearia algo? Deveria entender sobre o valor do trabalho alheio (na verdade nem precisa estudar jogos digitais pra entender isso).
Ah, claro… Também existem as publishers, as gigantes com o capital que fazem os jogos rodarem o mundo e para isso elas ficam com 80% dos ganhos (70% quando são boazinhas), mas que gastam uma grana violenta com tudo mais, distribuição, propaganda, assistência em alguns casos… Isso quando ela também não é a própria desenvolvedora que produz games e desembolsa milhões para isso (sim, o orçamento de um game de grande porte hoje em dia não é nada barato).
Se você fosse responsável por uma empresa assim e fosse o seu pescoço que estivesse (com o perdão do trocadilho) em jogo?

______________________________________

Mas e o consumidor?
Nós, proletários que geralmente nem sequer trabalhamos com o que gostamos de verdade, temos um salário mínimo risível e somos obrigados a tolerar preços abusivos de R$199,90 por um jogo por causa dos altos impostos?

E quando o produto que me oferecem nem é de uma qualidade compatível com o valor?
Tenho mesmo que mencionar aquela galerinha esforçada de Hollywood (que apoiou o SOPA, claro) com uma meta de produção de 78,3% de lixo audiovisual que eles apelidam carinhosamente de filmes? E quando ninguém compra o DVD colocam a culpa única e exclusivamente na pirataria.

Ah! E desculpe se eu não quero esperar o box de luxo da primeira e segunda temporada do meu seriado favorito chegar às lojas por um preço absurdo, ainda mais quando eu sei que já estamos na quarta temporada.
O quê? Assistir na televisão? Desculpe, mas eu só ligo aquela coisa pra jogar videogame ultimamente. Além disso, não estou afim de “marcar um encontro” com a TV. Eu só vou  se por acaso eu estiver entediado e decida pegar o controle para ver se passa alguma coisa que eu considere interessante eu vou assistir, mas eu não marcaria uma horário na minha agenda (mesmo que eu tivesse uma) só pra ver o programa X passando na hora Y do canal Z com uma dublagem que nem sempre corresponde com as expectativas.

E não, eu não acho que é uma opção desembolsar mais de duzentas pratas pra ter acesso a trocentos canais onde eu não vou ter tempo/vontade de assistir um quinto da programação e onde três quintos são de conteúdo inútil.

E a indústria da música, então? Pff… Vou deixar Jon Lajoie explicar como funciona.

______________________________________

Certo, observando tudo isso parece ser mais complicado do que parece. Ou não.
Antes de continuar eu só gostaria de lembrar que NÃO sou a favor da pirataria, mas acho que é preciso dar uma olhada com mais atenção sobre a dita cuja.

E para isso, recomendo dar uma lida numa postagem bem interessante da Secular Games, um grupo que se meteu num trabalho perigoso e caótico… A produção de livros de RPG em formato PDF.
Não, o problema não é uma suposta crise no mercado que os RPGistas já sabem não existir, mas não é qualquer um que bota a cara a tapa em um nicho desse jeito e ainda coloca o link do torrent do próprio trabalho.

Das várias coisas que li no blog, essa de tratar a pirataria como concorrência foi uma ideia tão maluca, mas tão maluca, que poderia dar certo!

O pensamento de que “cada download é uma venda perdida” é completamente errado. Não funciona desse jeito.
Além disso, voltando rapidamente ao assunto de SOPA e PIPA, se leis assim fossem aprovadas um blog como o EquestriaBR poderia ser fechado sem aviso prévio e isso só faria mais mal do que bem. São os fãs que mantém uma determinada obra viva. A velocidade como as notícias se espalham na interNerd é muito alta, mas não dá pra acompanhar tudo de uma vez. Cada um escolhe suas fontes da forma que preferir e acaba sendo atingido por outras a partir de seus contatos.
Eu mesmo só conheci alguns jogos e séries por causa de memes que simplesmente pipocaram na minha tela quando acessei uma rede social.

Inspirado na postagem da Secular, decidi escrever do meu jeito um pouco sobre esses quatro comportamentos que nos levam a escolher o uso de um produto que não é original.

Mas eu tenho o original!
Quem é fã vai comprar o produto de qualquer jeito. Pode ser por já conhecer a franquia em questão ou simplesmente quer dar o apoio que os desenvolvedores esperam. Talvez até comprar coisas ligadas ao produto como gashapons de personagens. E mesmo assim, decide ter uma cópia pirata, que neste caso alguns poderiam até chamar de “cópia de segurança”. Mas por que alguém que compra o original teria uma versão ilegal?

Vejamos… Alguém pode possui o livro físico, mas também possui uma versão digital e leva no tablet por ser muito prático de carregar e também de encontrar alguma informação.
Ou então sobre jogos. Eu mesmo tenho vários jogos originais da Ubisoft que comprei no Steam ou na Nuuvem (outro dia eu escrevo mais sobre essas plataformas), mas as medidas de segurança de alguns desses jogos atrapalham tanto que eu tenho vontade de pegar a versão crackeada pra evitar toda aquela frescura. Afinal, eu já comprei o produto original, então por que justo eu que tenho que ter problemas em usufruir?

Aliás, a Ubisoft tem o péssimo hábito de colocar DRMs (digital rights management) muito chatos em seus games. E isso não afeta quem usa uma versão crackeada, ainda mais quando tais sistemas podem ser driblados em 24h.
Uma desenvolvedora de games de tal porte poderia pelo menos usar a criatividade e fazer como em Serious Sam, em que um inimigo invencível é criado quando detectado o uso de uma cópia falsa.

Falta de $$
Fulano vai comprar o seu produto. Não agora, mas assim que ele terminar de pagar a fatura do cartão de crédito. Ou então quando sobrar uma graninha. Ou está esperando uma promoção no Steam. Ou então, vou ser sincero, pode demorar bastante dependendo da lista de prioridades.
Não o culpe, ele apenas não queria ficar sem jogar Skyrim enquanto todo mundo só comentava do jogo e flechas no joelho.

Playtest
Nem todos os jogos possuem uma versão demo disponível. Alguns possuem demos com limites de tempo que não são interessantes. O “Playtester” quer saber tudo que o jogo têm a oferecer sem restrições.
E livros ou filmes então? Onde tudo que podemos contar geralmente são trailers ou resenhas espalhadas por aí? Não senhor, quem quer avaliar de verdade prefere fazer isso pessoalmente. E se realmente se sentir satisfeito, vai comprar seu produto sim.

Pirataria legítima
“Pra quê gastar dinheiro, se eu posso baixar de graça?” é um triste pensamento que não vai ser extinto tão facilmente. E é mais triste quando você sabe que isso vêm de alguém que tem grana pra pagar a conexão de 10mb.
Só que às vezes esta pessoa simplesmente não possui interesse no produto ou vai usufruir muito pouco dele. Existe até uma galera que apenas baixa por baixar para poder dizer “eu tenho” sem qualquer motivo aparente. Talvez seja um tipo de consumismo desenfreado num nível diferente do que imaginamos. Às vezes baixa para alguns amigos (por sorte, alguns podem ter alguns dos pensamentos descritos anteriormente).
A boa notícia é que não parece ser tão difícil reverter esse pensamento. A verdade é que todo mundo prefere ter um produto original, mas novamente pode cair na questão dos preços, o que nos leva até…

…a Luz no Fim do Túnel

Existem aqueles que depositam a confiança em seus consumidores e recebem uma resposta positiva em consequência!

É o caso do Humble Indie Bundle que monta um pacote com vários games de desenvolvedores independentes e deixa você dizer o preço, se você pagar pelo menos um certo valor também ganha mais vantagens.
Também temos a LEDD HQ http://www.leddhq.com.br/ de J.M. Trevisam e Lobo Borges. Uma história em quadrinhos com traço em estilo mangá que é postada online periodicamente e também possui versão encadernada que você pode pedir na loja da Jambô!
Até mesmo o Manual 3D&T Alpha que possui uma versão digital gratuita no próprio site da Jambô e que não tem nem marca d’água, mas conseguiu vender tão bem que esgotou a versão impressa, o que levou a uma nova impressão com algumas correções.
Também temos Steam, a Nuuvem  e o Gog.com, lojas online que vendem games através de downloads. Através de preços justos e promoções geniais, todos conseguiram reunir usuários fiéis e crescem cada vez mais.

As próprias grandes desenvolvedoras de games já perceberam que no Brasil o que mais atrapalhava a venda de jogos não era a pirataria, mas os tais impostos. Elas vieram para cá para fazer a diferença. Como a Blizzard que até mesmo lançou versões traduzidas e dubladas de suas obras como Stracraft II e World of Warcraft.

A pirataria existe e não vai deixar de existir. É um obstáculo que precisa ser contornado com criatividade.
Tente imaginar se você tivesse um concorrente que consegue lançar os produtos exatamente iguais aos seus, com tempo de lançamento de no máximo um mês de diferença e o grande detalhe: de graça.
O que fazer?
Ora, você deve estudar seu concorrente! O que você sabe dele?
Vejamos… Ele é antigo pra caramba, mas não dá um suporte aos seus usuários. Ele não é criativo, nem original, precisa que você faça alguma coisa para então copiar.
Ele não consegue oferecer bônus e extras do produto, nem contratar pessoas talentosas para fazer outros trabalhos.
Ele faz propaganda de graça pra você e vários de seus clientes podem migrar para sua “loja”.

Existem outros fatores que poderia ser vistos, mas acho que a postagem está de bom tamanho. E você, o que você acha da Pirataria e como combatê-la sem ferir todas as vantagens e direitos que ganhamos através da internet?

SOPA e PIPA Arquivadas! Mas a "guerra" continua…

Desde minha última postagem aconteceram muitas coisas. O Google e o Facebook não saíram do ar como era previsto, mas apresentaram uma forma de protesto (o sr. Zuckerberg até usou o twitter após tantos anos para se manifestar), já a Wikipedia em inglês ficou fora do ar por 24h apenas com uma mensagem no lugar do conteúdo normal.
Fato rápido: O site da Superinteressante havia mostrado como burlar o protesto e acessar as páginas da wiki, mas após os protestos de vários usuários o artigo foi removido.

Milhares de outros sites também aderiram ao movimento SOPA Strike, dê uma o nos números e protestos aqui.
O resultado? A SOPA esfriou e PIPA foi recolhida  (perdoem os trocadilhos, foi mais forte que eu).
As duas leis foram arquivadas e dificilmente vão sair de lá, mas temos que ficar atentos ou pode acontecer como meu amigo Mizael disse: a história esfria e vão usando pequenas pequenas portarias e trambiques judiciais pra aprovar o projeto aos poucos sem ninguém perceber.

Só que nem tudo são flores, como a maioria já sabe, ocorreu o fechamento do Megaupload pelo FBI e isso sim mexeu com muita gente. Foi quando eu notei gente que quem não dava bola pro assunto começar a postar enfurecidamente sobre o mesmo.
Uma galera mais empolgada colocando a máscara do V de Vingança de repente e se autoproclamarem hacktivistas do Anonymous. Pessoas falando sobre Terceira Guerra Mundial e por aí vai…

Então muita hora nessa calma, pessoal.

O que está acontecendo é um grande problema cultural e antes de quaisquer decisões e ideias precipitadas, é necessário fazer uma boa pesquisa sobre o assunto.
As leis foram arquivadas, mas pelo visto a história está longe de terminar…

Breaking News! Digo… Update

Pois é, bem longe de terminar. O site Gamasuta, conhecido e respeitado site para designers de games, fez uma postagem sobre o assunto.

Além disso, o FBI já mostrou que não precisa de SOPA, PIPA ou o que for para começar fechar sites. Uma lista começou a circular pela internet sobre a situação de diversos sites de hospedagem de arquivos.

MegaUpload – Fechado. (como já foi dito)
FileServe – Fechando e não vende premium.
FileJungle – Excluindo arquivos. Bloqueado nos EUA.
UploadStation – Bloqueado nos EUA.
FileSonic – desabilitado
VideoBB – Fechado! deve sumir em breve.
Uploaded – Banido dos EUA e o FBI vai atras dos donos que sumiram.
FilePost – Deletando todo material (so vão deixar executaveis, pdfs, txts)
VideoZer – Fechando e bloqueado nos paises afiliados aos USA.
4shared – Excluindo arquivos com copyright e aguarda na fila do FBI.
MediaFire – Convocado a depor nos proximos 90 dias e tera de abrir as portas pro FBI
Torrente org – poderá sumir com tudo em até 30 dias “ele esta sob investigaççao criminal”
Rede Share mIRC – aguarda a decisão do caso Torrente para continuar ou encerrar tudo.
KoshiKO – operando 100% japão não ira aderir ao SOPA/PIPA
Shienko Box – operando 100% china/korea não irão aderir ao SOPA/PIPA
ShareX BR – grupo UOL / BOL / iG dizem que não irão aderir ao SOPA/PIPA

E para completar o dia, estão falando da ACTA que é um projeto muito mais agressivo que as duas leis. Não é de agora e não parece que vai ser votado em breve, mas já começou a ganhar muita atenção por parte dos usuários.

Enquanto isso, os Anonymous não pararam de se mobilizar (Eu espero não ir preso por colocar este link).

SOPA, Protect IP Act e Medidas Especiais

Pois é. Sou novo no wordpress e ainda não peguei o jeito da plataforma, mas isso vai mudar com o tempo. Ainda não fiz algumas das postagens que queria e mesmo tendo alguns textos engatilhados eu tive de colocar este aqui como prioridade.

E mesmo assim eu tive atrasei feio por alguns imprevistos (alagamento, trabalho, Portal 2…), mas isto é importante de verdade.

Não, não está nos Trending Topics. E não sei como estão seus contatos no facebook, mas boa parte dos meus não comentou muito a respeito (acho que aquela porcaria de reality show nublou isso).

Você ouviu falar da SOPA e PIPA? Tirando as piadas prontas em português, segue o significado das siglas.
SOPA: Stop Online Piracity Act (algo como Lei de Combate à Pirataria Online)
PIPA: PROTECT IP Act (sim, é uma sigla de uma sigla! Preventing Real Online Threats to Economic Creativity and Theft of Intellectual Property Act of 2011)

São dois projetos de lei que, basicamente, quebrariam a internet como a conhecemos hoje.

Sério. Veja o vídeo a seguir (legendado)

“Ó! E agora? Quem poderá nos defender?”
Desta vez, apenas nós mesmos.

Bom, a votação será lá, mas isso pode afetar o mundo todo. Só que nesta quarta (18/01/2012) vai começar um protesto que vai continuar até o dia da votação (24/01/2012). Para começar, no dia 18 milhares de sites irão sair do ar por 12 ou 24h ou até mesmo o dia da votação! E não apenas blogs, mas a Wikipedia, o Facebook, Yahoo e o próprio Google irão fazer isso. Aliás, A wiki em inglês já está fora do ar!

Se você possui um site, participe do protesto! Acesse e veja o que pode fazer http://americancensorship.org/

E você também pode usar as redes sociais! http://www.blackoutsopa.org/

E se você usa o wordpress como eu, é mais simples ainda, acesse o Painel e vá em Configurações e clique em Protest SOPA/PIPA!
Você pode escolher dar um blackout total demonstrando sua indignação ou deixar uma fita que vai aparecer em cada uma das páginas se ainda quiser postar conteúdo e manter seus leitores informados (opção que você vai perceber que escolhi para poder manter esta postagem em português). Você pode ter um preview de como vai ficar antes.
…Ou pode não protestar, o que pessoalmente acho um grande erro.

Claro, quem eu penso que sou com um bloguezinho sem vergonha de duas postagens que nem chegou num número de visitas decente vir informar que vou protestar? Provavelmente então você é dessas pessoas que pensa que jogar um papelzinho na rua não vai fazer diferença, né?

TODOS são bem-vindos nesse protesto, faça sua parte. Ou você quer que a internet que você usa seja como a da China? Aliás, será bem pior se isso acontecer.
O próprio WordPress se pronunciou e vale muito ler a postagem (em inglês).

“You are an agent of change.”

Hello, World!*

A primeira sexta-feira 13 de 2012 e início efetivo do blog. Qual a relação? Nenhuma, mas eu cismei que queria nesta sexta e agora vou fazer o possível para postar algum conteúdo útil com alguma frequência.

Pois bem, se você ainda não clicou alí encima para saber sobre o Autor (eu) ou Sobre o Blog (este) essa é uma boa hora para fazê-lo. Vai lá, eu prometo que não saio daqui.

Pronto? Maravilha.
*ca-ham*

Pois bem, eu quero usar este blog para postar algumas ideias como um sistema caseiro de RPG, histórias em quadrinhos, contos, jogos digitais… E  o que mais der na telha.
Só que não é para ser portfólio online. Eu quero “desconstruir” alguma das coisas que fizer, mostrar as peças do relógio para tentar entender como ele funciona (ou deixa de funcionar).
E também vou tentar mostrar algumas engines de desenvolvimento de games e talvez uma notícia ou outra, mas tudo de forma descontraída.
O blog anda está no começo, mas espero que possa crescer aos poucos e ficar com uma cara mais simpática.

Vou então aproveitar esta primeira postagem para explicar porque eu gosto dessas formas de arte respondendo uma única pergunta que muitos aspirantes já devem ter ouvido.
“Por que se importar com essas bobagens de jogos, quadrinhos e blablabla? Por que se aprimorar logo nisso ao invés de coisas verdadeiramente úteis?”

É simples.
Sabe aquele filme, livro, jogo ou história que fez você pensar melhor sobre um assunto, sonhar acordado, ou pelos menos dar boas risadas?
Tudo começou com uma simples ideia. E foi se desenvolvendo até chegar em você e mexer com seus sentimentos.
É provável que você deva até mesmo um pouco da sua personalidade a várias pessoas talentosas que dedicaram um pouco do seu tempo para fazer essas “bobagens”. Eu sei que eu devo.

E eu quero fazer o mesmo que elas. Fazer alguma diferença na vida de alguém.

E não se esqueça!
“Ninguém é tão grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar”


Por hoje é só. Volte sempre! “And thanks for all the fish!”

*Não. Eu não esqueci de trocar o título padrão do primeiro post do WordPress. “Hello World” é um daqueles “ritos de passagem”, sabe? É como quando você começa a aprender animação no Flash e então você começa a movimentar uma bolinha pela tela, ou talvez o “Good morning, my name is…” das aulinhas de inglês. Se você está começando a programar, provavelmente uma das primeiras coisas que vai aprender independente da linguagem usada é fazer aparecer esse “Hello, World!” na tela através de um printf ou algo que o valha. Bom, vamos manter algumas tradições vivas.